Supremo Condena quadrilha Petista mensaleira por 6 x 4

Supremo Condena quadrilha Petista mensaleira por 6 x 4
Estamos atualizando nosso cadastro de políticos que possuem sua fichinha mais suja que pau de galinheiro. Também disponibilizaremos a lista de quem falta mais às sessões e comissões, uso de verbas indenizatórias, doações e patrimônio dos políticos. Aguardem.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

O CHEF & SEUS PIZZARETAS

Antonio de Campos


O Chef
da cozinha
chamou seus ajudantes
de bons pizzaiolos.

Ma que belo consolo!

Que ninguém
se iluda:
aqui nada muda –
picaretas
de outrora,.
pizzaiolos agora..

Por tantas mutretas,
prefiro,
com orégano,
tomate e muçarela,
chamá-los pizzaretas.

Isso tem quase
tudo de bom,
aparte e exceto o bom-tom
Jobim
nem o velho Donga
pra ligar
pro chefe da polizia,

que leve e sirva
na delegacia
ao Chef e seus pizzaretas
uma pizza aconchegante,

tamanho Golias,
pra não dizer super gigante,
de quinhentas...
e quatorze fatias*.

* quinhentos e treze pizzaretas e seu Chef

Do Blog do Magno Martins

AS PESSOAS MUDAM, OU O CARATER É O MESMO?

sábado, 4 de julho de 2009

SIM SENHOR, NÃO SENHOR


Quem diria que o Senador Aloízio Mercadante se prestaria ao papel que protagonizou esta semana, claro que ao longo dos últimos anos ele e o PT mostraram a todo o Brasil sua verdadeira índole, bem voltemos ao assunto, o Senador Aloízio Mercadante foi desautorizado pelo presidente Lula que nem se quer mudou a cara ao mostrar quem realmente manda no PT.

O Senador Mercadante após andar falando que era a favor do afastamento do presidente do senado, teve que voltar atrás em sua palavra com o rabinho abanando depois de uma conversinha entre o Senador Sarney e a Ministra Dilma.

Por incrível que possa parecer, talvez não tão incrível assim, o Senador Mercadante fez um discurso onde disse: "Minha combatividade está a serviço do governo Lula", é uma pena, pois a sua combatividade deveria estar a serviço da nação brasileira.

Tem gente que é assim, vive na base do sim senhor, não senhor!

AQUI QUEM MANDA SOU EU (LULA)

Leiam o texto abaixo da revista VEJA, e tirem suas conclusões, se vocês souberem ler, é claro!

Otávio Cabral

Há cinco meses, o senador José Sarney, o atual presidente, vaga por um labirinto de acusações que a cada dia apequenam sua biografia. Acuado, ele chegou a pensar na semana passada em comunicar a renúncia - hipótese que ainda não está descartada. Seria o quarto presidente a deixar o cargo em oito anos.

O problema é que tal sociedade de interesses políticos é mantida à custa da indicação de milhares de pessoas para ocupar cargos na administração federal e da distribuição nem sempre republicana de bilhões de reais em verbas do Orçamento da União. Traduzindo: usa-se dinheiro público, o nosso dinheiro, literalmente como moeda de estabilidade. É nesse ambiente que florescem o clientelismo, o fisiologismo, o nepotismo e a corrupção - as antigas más práticas que estão na raiz da recente crise do Congresso.

O presidente Sarney tenta convencer seus colegas de que a avalanche de denúncias de irregularidades é um problema institucional que passa ao largo de sua responsabilidade. Não é. Nas últimas duas décadas, Sarney presidiu o Congresso três vezes e participou decisivamente da eleição de seus sucessores - todos, à exceção de ACM, ex-ministro das Comunicações do governo Sarney, peemedebistas próximos a ele. A máquina administrativa do Senado, que tem incríveis 10 000 funcionários e é pontuada de casos escabrosos de irregularidades, também era conduzida por um servidor indicado por Sarney, o ex-diretor-geral Agaciel Maia. Em sua gestão, descobriu-se que um neto do presidente da Casa intermediava empréstimos consignados no Senado, que outro neto era funcionário-fantasma, que um parente morava na Espanha e recebia salário do Senado, que o mordomo da casa da filha recebia 12 000 reais como funcionário do Senado, que outros sete parentes do senador também faziam parte da folha de pagamento da Casa. O próprio Sarney recebeu durante quatro meses auxílio-moradia de 3 800 reais, embora tivesse residência própria em Brasília. Residência que, aliás, não constava na declaração de bens entregue à Justiça Eleitoral do Amapá, como revelou o jornal O Estado de S. Paulo na última sexta-feira. Sarney também emprestou de maneira irregular um apartamento funcional para um ex-senador e outro para a viúva de um de seus motoristas.

São pecados relativamente pequenos diante dos imensos absurdos cometidos em Brasília, mas suficientes para fragilizar a liderança política do senador. Na semana passada, três partidos pediram o afastamento de Sarney da presidência, entre eles o DEM, um velho parceiro do consórcio. Envolto numa incomum aura de moralidade, até o PT se mostrou indignado. Acuado, Sarney comentou que renunciaria e, diante da falta de solidariedade dos petistas, fez chegar ao governo quais seriam as prováveis consequências de sua saída do cargo: a imediata instalação da CPI da Petrobras, um fantasma do qual o Planalto quer distância, e o fim do compromisso prévio de o PMDB apoiar a candidatura da ministra Dilma Rousseff à Presidência em 2010, o que poderia significar um desastre eleitoral para o PT. Além disso, o senador tucano Marconi Perillo, o primeiro vice-presidente, assumiria interinamente o cargo. Como o oposicionista teria trinta dias para promover novas eleições, ele, nesse período, poderia provocar uma guerrilha no Senado, deixando o governo ainda mais refém da turma que gosta de cargos e verbas. No momento, por incrível que pareça, o PMDB, o maior partido do Congresso, não tem um candidato natural à presidência da Casa. Lula e o governo querem estender a ajuda a Sarney até encontrar um nome confiável para substituí-lo. A maioria dos outros dezoito senadores do partido não tem condições éticas ou políticas de ocupar o cargo. Os poucos sem problemas éticos são vetados pela cúpula justamente por isso, como Jarbas Vasconcelos e Pedro Simon.

Nasser Nasser/AP
ELE MANDA E O PT OBEDECE
Da Líbia, onde fez rapapés ao ditador Kadafi, Lula enquadrou o PT - e Mercadante, como sempre, cedeu a sua combatividade

A estratégia da ameaça de Sarney produziu efeitos imediatos. Da Líbia, onde estava em visita oficial, o presidente Lula ligou para seu chefe de gabinete, Gilberto Carvalho, e mandou que acalmasse pessoalmente o senador. Depois, telefonou para Dilma e para o presidente do PT, Ricardo Berzoini. Pediu à ministra que fosse até Sarney e o convencesse a não tomar nenhuma atitude antes de sua volta do exterior. A Berzoini, ele ordenou que enquadrasse a bancada do PT no apoio ao presidente do Senado. Dilma telefonou a Sarney logo em seguida e marcou um encontro pessoal, que aconteceu na casa dele no início da tarde de quarta-feira. Ela lhe garantiu que o presidente e o governo estavam a seu lado e que uma eventual renúncia serviria apenas à oposição. Dilma ainda deu a garantia de que o PT deixaria de fazer carga pelo seu afastamento da presidência. Saiu de lá com o compromisso de Sarney de que não daria nenhum passo político antes de conversar com Lula.

Em mais uma impressionante demonstração de que controla o partido com mão de ferro, o presidente da República desautorizou o senador Aloizio Mercadante, líder do PT que adotara um discurso anti-Sarney. Passou a coordenação dos movimentos petistas no Senado a Ideli Salvatti, a cumpridora de missões do Planalto. A falta de conexão do governo e do PT com a sociedade quando o assunto é ética ficaria mais evidente após a chegada de Lula ao Brasil. Ele, que já dissera que Sarney não era uma pessoa comum e, por isso, merecia ser tratado de uma maneira diferenciada, ligou para o senador e afirmou que não lhe faltaria apoio político para ficar no cargo. Quanto à bancada petista que queria o afastamento imediato do presidente do Senado... Na noite de quarta-feira, dez senadores do partido foram à casa de Sarney lhe prestar solidariedade. Só dois senadores não compareceram: Marina Silva e Tião Viana. Na quinta-feira, em um discurso de mais de duas horas, Mercadante mostrou a face do novo PT, de joelhos para Lula e de costas para a sociedade. "Minha combatividade está a serviço do governo Lula", disse ele, para justificar sua súbita mudança de posição. O estilo de Mercadante, reconheça-se, é inconfundível. Mesmo que venha a se afastar da presidência do Senado nas próximas horas, o que permanece bastante provável, Sarney poderá mostrar gratidão aos petistas e continuar trabalhando pela aliança com vistas à sucessão presidencial. É isso que interessa a Lula.

Leia a matéria completa

quinta-feira, 2 de julho de 2009

REALIDADE

TIMÃO CAMPEÃO


Já ia me esquecendo, parabéns ao corinthians pela conquista da Copa do Brasil, ano que vem tá na libertadores.

ENQUANTO ISSO NUM CASTELO NÃO MUITO DISTANTE...

SARNEY DEU UM SUSTO EM DILMA, QUE ASSUSTOU LULA, QUE DEU UM CHEGA-PRA-LÁ EM MERCADANTE

O PT agora passou a defender a permanência de José Sarney (PMDB-AP) na presidência do Senado e fala, na verdade, em projetos de mais longo prazo. Data vênia, boa parte dos coleguinhas come gato por lembre quando afirma que o recuo se deveu apenas à ameaça de renúncia de Sarney, o que poderia jogar a Presidência das mãos de Marconi Perillo (PSDB-GO). Isso sempre esteve no horizonte. É a regra, não? Todos sabiam que o eventual “afastamento temporário” queria dizer “afastamento definitivo”. A ameaça de Sarney, em conversa com Dilma Rousseff, não foi essa.

Sarney apresentou à ministra-candidata o pacote completo de sua “renúncia”. E o primeiro item foi a possibilidade de uma boa parcela do PMDB desembarcar do… “Projeto Dilma”. Ela ouviu atentamente e entendeu o recado. O segundo item foi a CPI da Petrobras. Da instalação aos rumos da comissão, tudo depende do comportamento do PMDB. Não que Sarney, experiente que é, não pudesse fazer tudo isso sozinho. Poderia. Mas, nesse caso, contou com a ajuda de um discípulo que pode ser um verdadeiro professor do mestre em matéria de jogo bruto: Renan Calheiros (PMDB-AL).

Dilma, como disse, entendeu diretinho os riscos e acionou o chefe, que estava lá metido naquele circo de horrores de ditadores africanos, a defender o direito que os facínoras têm de matar o seu próprio povo desde que sejam facínoras aliados.

Lula, então, acionou o comando do PT, deixou claro quem manda e ordenou a Mercadante (PT-SP) que inventasse um outro discurso. E Mercadante fez o que o chefe mandou. Ontem aliado do DEM no pedido de afastamento de Sarney, o senador passou hoje a criticar o partido pelo mesmíssimo motivo.

Eis o PT.

Do Blog do Reinaldo

ISSO É QUE É TRANSPARÊNCIA!


Imaginem se pudéssemos ver o que há por dentro de nossos políticos

O VOTO DO CONSELHO DE ÉTICA (hehehe) DA CÂMARA DOS DEPUTADOS

Como votaram nossos nobres deputados com relação ao parecer do relator que defendia a cassação da figura aí do lado:







A favor do julgamento em plenário:
Nazareno Fonteles (PP-PI) - a favor
Ruy Pauletti (PSDB-RS) - a favor
Solange Amaral (DEM-RJ) - a favor
Roberto Magalhães (DEM-PE) - a favor

Contra o julgamento em plenário:
Hugo Leal (PSC-RJ) - contra relator
Mauro Lopes (PMDB-MG) - contra o relator
Nelson Meurer (PP-PR) - contra o relator
Sergio Moraes (PTB-RS) - contra o relator
Wladmir Costa - contra o relator
Moreira Mendes (PPS-RO) - contra o relator
Urzeni Rocha (PSDB-RR) - contra o relatório
Sergio Brito (PDT-BA) - contra o relatório
Lucio do Vale (PR-PA) - contra o relator

Abstenção (não teve coragem de dar o seu voto)
Abelardo Camarinha (PSB-SP) - abstenção

Não estavam presentes (tavam se lixando)
Pedro Eugênio (PT-PE) - ausente
ACM Neto (DEM-BA) - ausente

CONSELHO DA FALTA DE ÉTICA NO SENADO ABSOLVE DEPUTADO DONO DO CASTELO

Gente, vocês se lembram daquele deputado dono de um castelo em MG, que estava correndo o risco de ser cassado, pois bem, ele foi absolvido pelo conselho de ética da câmara.

Agora sejam sincero, o conselho de ética(?) da câmara tem alguma moral para absolver um deputado comprovadamente safado?

Este deputado estava sendo acusado de quebra do decoro parlamentar por uso indevido da verba indenizatória.

Bem ele usou irregularmente dinheiro público, mesmo sendo dito por ele mesmo que começou a apresentar notas pedindo ressarcimento porque sua empresa estava com dificuldades financeiras, ou seja tava quebrando.

Foram 9 votos a favor e 4 contra Edmar Moreira (sem partido-MG), sendo assim, o nobre parlamentar não poderá ser julgado em plenário
Decisão do conselho impede que o parlamentar seja julgado em plenário.

“Ele não conseguiu desmentir nenhuma das minhas acusações feitas aqui, porque houve fraude. Esta Casa precisa ter a coragem moral de apontar o caminho de recuperação de sua credibilidade”, chegou a pedir o relator.

E como nós estamos cansados de saber, não só na câmara, mas no Senado também, o que eles não teem é coragem e muito menos moral.


E O SARNEY FICA OU NÃO FICA?

Gente, e o Sarney?

Uma hora os nobres parlamentares retiram o seu apoio (PT), outra hora depois de uma conversinha com o nobre senador, os nobres parlamentares voltam atrás. É incrível como uma boa conversa ao pé de oreia bota os nobres colegas em seus respectivos lugares. Isso sim é democracia, isso sim é um respeitar a opinião (?) do outro, isso sim é que é uma prosa eficiente.

Imaginem o que o senador Sarney disse para a ministra Dilma ao ponto de fazer com que todo o PT, voltasse atrás em sua decisão.

Isso sim é que é o poder da palavra.









Senadores do PT saem com o rabinho abanando da casa do Sarney





GOLPE EM HONDURAS? NOSSO PRESIDENTE É RIDÍCULO!

Bom dia senhores eleitores de m..., espero que estejam acompanhando o desenrolar desta visita do nosso presidente ao continente africano para a 3ª Cúpula dos Países Árabes.
Bem, vamos ao que interessa, nosso companheiro presidente espera ao final deste encontro, uma carta com a assinatura dos chefes de estado condenando o golpe (?) em Honduras. Agora imaginem Muammar Khadafi, o anfitrião, o ditador sudanês, Omar Omar al Bashirue que teve ordem de prisão decretada pelo Tribunal Penal Internacional em março por crimes de guerra e contra a humanidade, assinarem uma carta condenando um golpe (?) que não foi um golpe, em Honduras? Claro que nosso presidente também assinará.
É uma pena que o nosso presidente não concorde que a constituição de um país deva ser respeitada.

SIGAM O ELEGENDO