Supremo Condena quadrilha Petista mensaleira por 6 x 4

Supremo Condena quadrilha Petista mensaleira por 6 x 4
Estamos atualizando nosso cadastro de políticos que possuem sua fichinha mais suja que pau de galinheiro. Também disponibilizaremos a lista de quem falta mais às sessões e comissões, uso de verbas indenizatórias, doações e patrimônio dos políticos. Aguardem.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

PV é alvo de denúncias e pode perder repasses

Da Folha
Em contraste com a euforia de lançar a senadora Marina Silva (AC) candidata à Presidência, o PV convive com denúncias de corrupção e com a ameaça de suspensão dos repasses do fundo partidário, que hoje responde por cerca de 80% da receita da legenda.
A apresentação de notas fiscais frias e a não comprovação de gastos com viagens e diárias (feitos com recursos públicos do fundo) levaram o corpo técnico do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) a sugerir a rejeição das contas do partido de 2004, 2005 e 2006 nos últimos pareceres disponíveis.
Se o plenário do TSE referendar o entendimento dos auditores em pelo menos um dos processos, o repasse será suspenso por 12 meses. A receita estimada em 2010 se aproxima dos R$ 7 milhões.
Revelado pela Folha em junho do ano passado, o esquema de uso de notas frias é agora comprovado, em parte, pelos técnicos do tribunal.
Um dos casos citados nos pareceres foi a inclusão de uma nota no valor de R$ 4.866 emitida pela Corinne Decorações. O documento fiscal é de 2005, mas a empresa foi extinta oito anos antes, segundo a Receita.
A descrição do trabalho é genérica: “serviços diversos, inclusive na área de visual de candidatos e apresentadores”.
O partido também entregou ao menos sete notas de empresas fantasmas, que não existem nos endereços informados, para justificar gastos de R$ 130 mil com criação digital, marketing e gravação de programas de TV.

RELAXA E GOZA

Agora tá explicado como a Vanusa aprendeu a cantar o hino nacional tão bonitinho.
Ela seguiu exatamente as recomendações de seu professor.
Viva o hino nacional brasileiro, viva o Brasil.

RELAXA E GOZA

Incrível

RELAXA E GOZA

Depois de tantos políticos encrencados, curtam um pouco de David Gilmore

VOCÊ DECIDE

Do Transparência Brasil

Olavo Calheiros (PMDB-AL)
Câmara dos Deputados/BR

Nome de batismo:
Olavo Calheiros Filho

CPF: 140.317.364-87

Cargo anterior:
Deputado federal (PMDB-AL)

Cargos relevantes: Secretário municipal de Administração de Murici (1983-1984). Secretário estadual de Viação e Obras Públicas (1984-1986). Secretário estadual da Agricultura (1987-1988). Deputado federal por três legislaturas (1991-1995, PRN-AL; 1999-2003/2003-2007, PMDB-AL). Suplente na legislatura 1995-1999, assumiu o mandato de deputado federal de 1995 a 1997. Secretário estadual de Infra-Estrutura (1997-1998).

Outros dados relevantes: Formado em engenharia agrônoma, é proprietário rural. Irmão de Renan Calheiros, senador (2003-2011) e de Renildo Calheiros, deputado federal (2007-2011). Sua família detém concessão de radiodifusão em Alagoas.

Histórico de filiações partidárias: PMDB, 1980-1990; PMDB, 1991-; PRN, 1990-1991; MDB, 1976-1979.

e-mail: dep.olavocalheiros@camara.gov.br

Votos recebidos na última eleição: 91.771

Eleito(a) pelo PMDB.


STF Inquérito Nº2426/2006 - Crimes contra o meio ambiente e o patrimônio genético.

VOCÊ DECIDE

Do Transparência Brasil

Maurício Quintella Lessa (PR-AL)
Câmara dos Deputados/BR

Nome de batismo:
Maurício Quintella Malta Lessa

CPF: 803.556.334-34

Cargo anterior:
Deputado federal (PSB-AL)

Cargos relevantes: Secretário municipal da Educação (1997-1999) e vereador por duas legislaturas (1997-2001/2001-2003, PSB-AL) de Maceió. Presidiu a Câmara Municipal. Secretário extraordinário Regional Metropolitano de Alagoas (2003-2004). Secretário estadual de Educação (2004-2005).

Outros dados relevantes: Servidor público federal. Formado em direito. É técnico judiciário do TRT de Alagoas. É primo de Ronaldo Lessa, ex-governador de Alagoas.

Histórico de filiações partidárias: PR, 2007-; PDT, 2005-2007; PL, 2007; PSB, 1995-2005.

e-mail: dep.mauricioquintellalessa@camara.gov.br

Votos recebidos na última eleição: 72.054

Eleito(a) pelo PDT.


TRF-5 Seção Judiciária de Alagoas Improbidade Administrativa Nº2008.80.00.004055-5 - É processado em ação civil pública movida pelo Ministério Público.

VOCÊ DECIDE

Do Transparência Brasil

Joaquim Beltrão (PMDB-AL)
Câmara dos Deputados/BR

Nome de batismo:
Joaquim Beltrão Siqueira

CPF: 163.491.483-04

Cargos relevantes: Foi prefeito de Coruripe por dois mandatos (1997-2000/2001-2004, PMDB-AL).

Outros dados relevantes: Formado em engenharia. Foi primeiro secretário geral e vice-presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), 1999-2003. Foi diretor de operação (1988-1989/2005-2006) e diretor administrativo da Companhia Energética de Alagoas (CEAL). É proprietário rural.

Histórico de filiações partidárias: PMDB, 1982-.

e-mail: dep.joaquimbeltrao@camara.gov.br

Votos recebidos na última eleição: 79.547

Eleito(a) pelo PMDB.


STF Inquérito Nº2749/2008 - Crimes de responsabilidade (sob segredo de justiça).

VOCÊ DECIDE

Do Transparência Brasil

Francisco Tenorio (PMN-AL)
Câmara dos Deputados/BR

Nome de batismo:
José Francisco Cerqueira Tenório

CPF: 363.242.054-87

Cargo anterior:
Deputado estadual (PPS-AL)

Cargos relevantes: Deputado estadual por três legislaturas (1995-1999, PSB-AL; 1999-2003, PDT-AL; 2003-2007, PPS-AL).

Outros dados relevantes: Formado em direito. Escrivão da Polícia Civil. Proprietário rural. Foi presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Brasil, seção de Alagoas (ADEPOL-AL), e vice-presidente da ADEPOL-BR. É irmão do deputado estadual José Maria Tenório.

Histórico de filiações partidárias: PMN, 2006-.

e-mail: dep.franciscotenorio@camara.gov.br

Votos recebidos na última eleição: 70.241

Eleito(a) pelo PMN.


TJ-AL Ação Civil Pública Nº001.08.058272-0 - Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público com base em inquérito da Polícia Federal que investigou o desvio de recursos públicos na Assembléia Legislativa. O parlamentar teve os bens bloqueados pela justiça e entrou com Agravo de Instrumento Nº20090013743 no TJ-AL para tê-los liberados, mas o pedido foi negado.

STF Inquérito Nº2622/2007 - Captação ilícita de votos ou corrupção eleitoral.

STJ Agravo Regimental no Recurso Especial N°698260 - Condenado a recolher à Fazenda Nacional o Imposto de Renda incidente sobre verbas de gabinete recebidas e não declaradas; o agravo dá razão parcial ao deputado, uma vez que o imposto não foi retido na fonte, "porém [isso] não exclui a responsabilidade do contribuinte pelo pagamento do imposto, que fica obrigado a declarar o valor recebido na sua declaração de ajuste anual", nas palavras do ministro relator Otávio Falcão. O parlamentar recorreu ao Supremo Tribunal Federal, mas teve o recurso negado (STF Recurso Extraordinário Nº524695/2007).

VOCÊ DECIDE - DEPUTADO CARLOS ALBERTO CANUTO

Do Transparência Brasil

Carlos Alberto Canuto (PMDB-AL)
Câmara dos Deputados/BR

Nome de batismo:
Carlos Alberto Moreira de Mendonça Canuto

CPF: 060.809.444-72

Cargos relevantes: Foi prefeito de Pilar por dois mandatos (1997-2001/2001-2005, PDT-AL).

Outros dados relevantes: Formado em medicina. Proprietário rural. Foi candidato a prefeito de Pilar em 2008.

Histórico de filiações partidárias: PDT, 1995-1998; PMDB, 2000-; PPB, 1998-2000.

e-mail: dep.carlosalbertocanuto@camara.gov.br

Votos recebidos na última eleição: 67.784

Eleito(a) pelo PMDB.

Foi candidato(a) em 2008.


STF Inquérito Nº2668/2007 - Crime contra a lei de licitações.

VOCÊ DECIDE

Do Transparência Brasil

Augusto Farias (PTB-AL)
Câmara dos Deputados/BR

Nome de batismo:
Augusto Cesar Cavalcante Farias

CPF: 097.192.374-49

Cargos relevantes: Secretário estadual de Transportes (1987-1988). Presidente da COHAB de Maceió (1988-1989). Deputado federal por três legislaturas (1991-1995, PSC-AL; 1995-1999, PSC-AL; 1999-2003, PFL-AL). Suplente na legislatura 2007-2011, assumiu o mandato de deputado federal na vaga de Gerônimo da Adefal, morto.

Outros dados relevantes: Formado em direito. É irmão de Paulo César Farias, o PC, tesoureiro da campanha presidencial de Fernando Collor de Mello e assassinado junto com a namorada em 1996 em circunstâncias não esclarecidas.

Histórico de filiações partidárias: PFL, 1997-1999; PP, 1995; PPB, 1995-1997; PPB, 1999-; PSC, 1990-1995.

e-mail: dep.augustofarias@camara.gov.br

Votos recebidos na última eleição: 67.912

Eleito(a) pelo PTB.


STF Inquérito Nº2669/2007 - Crimes contra a liberdade pessoal - redução a condição análogo à de escravo. Apropriação indébita previdenciária.

VOCÊ DECIDE

Do Transparência Brasil

Renan Calheiros (PMDB-AL)
Senado Federal/BR

Nome de batismo:
José Renan Vasconcelos Calheiros

CPF: 110.786.854-87

Período: 2003-2011

Cargo anterior:
Senador (PMDB-AL)

Cargos relevantes: Deputado estadual (1978-1982, MDB-AL). Deputado federal por duas legislaturas (1982-1986/1986-1992, PMDB-AL). Vice-presidente da Petrobras Química (Petroquisa) (1993-1994). Senador (1994-2002, PMDB-AL). Ministro da Justiça (1998-1999). Presidente do Senado, renunciou à presidência em dezembro de 2007 após se envolver em escândalos.

Outros dados relevantes: Formado em direito. Foi presidente do Diretório Acadêmico de Ciências Humanas e Social da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). É irmão de Olavo Calheiros e Renildo Calheiros, ambos deputados federais (2007-2011). Sua família, incluído seu filho e prefeito de Murici, Renan Filho, detém concessão de rádio em Alagoas e é proprietária da Correio Gráfica, Editora e Produtora Ltda.

Histórico de filiações partidárias: MDB (1978-1980) e PMDB (1980 - ).

e-mail: renan.calheiros@senador.gov.br

Eleito(a) pelo PMDB.


STF Inquérito Nº2593/2007 - Consta como indiciado em inquérito movido pelo Procurador Geral da República.

Deu no Jornal

Teria sido beneficiado por atos secretos editados pelo Senado entre 1995 e 2009 (O Estado de S. Paulo, 23.jun.2009).

Foi acusado de haver utilizado a Polícia do Senado Federal para espionar os senadores Marconi Perillo (PSDB-GO) e Demóstenes Torres (DEM-GO), que defendiam publicamente a cassação de seu mandato. A representação que solicitava a investigação do caso foi arquivada pelo Conselho de Ética do Senado (Veja, 1.dez.2007; O Estado de S. Paulo, 6.dez.2007).

Teria feito tráfico de influência em favor da Cervejaria Schincariol, para anular dívidas milionárias da empresa com o INSS e a Receita Federal. O Conselho de Ética do Senado votou pelo arquivamento do caso (O Estado de S. Paulo, 15.nov.2007).

Os recursos de um convênio entre a Funasa e a prefeitura de Murici (AL), administrada por Renan Calheiros Filho, firmado com base em emendas parlamentares de sua autoria, foram utilizados para contratar uma empresa fantasma registrada em nome de um ex-assessor do senador. A Mesa Diretora do Senado suspendeu representação contra o senador relacionada a essa denúncia (O Estado de S. Paulo, 14.out.2007, 24.out.2007).

Segundo o advogado Bruno Miranda, ex-marido de uma assessora de Renan Calheiros, o senador era favorecido por um esquema de arrecadação de dinheiro operado pelo pai dessa assessora, a partir de cobrança de propina e desvio de recursos em ministérios chefiados pelo PMDB. Representação contra o senador baseada nessa denúncia foi arquivada pelo presidente do Conselho de Ética do Senado (Época, 1.set.2007; Folha de S. Paulo, 6.dez.2007).

Em reportagem da Revista Veja, é acusado de se tornar sócio de emissora de rádio e de um jornal através da utilização de laranjas (pessoas que cedem o nome a terceiros, os verdadeiros proprietários, para ocultá-los juridicamente). O relatório do Conselho de Ética do Senado que pedia a cassação de seu mandato foi rejeitado pelo plenário. O senador renunciou à presidência da Casa pouco antes da absolvição (Veja, 4.ago.2007; O Globo, 5.dez.2007).

O senador e seu irmão, o deputado Olavo Calheiros, teriam ocultado a propriedade de fazendas em Murici, terra natal e berço político da família (O Globo, 28.mai.2007).

A construtora Mendes Júnior teria custeado despesas pessoais do senador de pelo menos R$16.500,00 por mês; o dinheiro era uma ajuda financeira a sua filha. O Conselho de Ética do Senado pediu sua cassação, mas acabou absolvido em plenário dessa acusação (O Estado de S. Paulo, 26.mai.2007; 13.set.2007).

Um de seus assessores movimentou conta bancária em paraíso fiscal utilizando aparelho de fax instalado na sala da liderança do PMDB no Senado (Folha de S. Paulo, 7.mai.2006).

Requisitou um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para levar parlamentares ao enterro da mãe do senador Arthur Virgílio, no Rio de Janeiro, enquanto presidente do Senado (Correio Braziliense, 6.mar.2006).

Teria firmado contrato com Wellington Salgado, dono da Universidade Salgado Oliveira (Universo), pelo qual vendeu irregularmente terreno público cedido à Campanha Nacional de Escolas Comunidade (CNEC), quando presidente dessa entidade filantrópica (Correio Braziliense, 12.fev.2006).

VOCÊ DECIDE - SENADOR FERNANDO COLLOR

Do Transparência Brasil

Fernando Collor (PTB-AL)
Senado Federal/BR

Nome de batismo:
Fernando Affonso Collor de Mello

CPF: 029.062.871-72

Período: 2007-2015

Cargos relevantes: Prefeito de Maceió (1979-1983). Deputado federal (1983-1987, PDS-AL). Governador (1987-1989, PMDB-AL). Presidente da República (1990-1992, PRN-AL).

Outros dados relevantes: Formado em ciências econômicas. Sofreu processo de impeachment por crime de responsabilidade, aberto pelo Senado em 1992. Foi afastado da Presidência da República e perdeu seus direitos políticos por oito anos. Tentou disputar a prefeitura de São Paulo em 2000, mas foi proibido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Detém 12 concessões de radiodifusão em Maceió (AL). É neto de Lindolfo Collor, ex-ministro, e filho de Arnon de Mello, ex-governador de Alagoas.

Histórico de filiações partidárias: PDS, PMDB, PRN, PRTB e PTB.

e-mail: fernando.collor@senador.gov.br

Votos recebidos na última eleição: 550.725

Eleito(a) pelo PRTB.


STF Ação Penal Nº451/2007 - Falta de recolhimento de imposto de renda.

STF Ação Penal Nº465/2008 - Falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva, tráfico de influência e corrupção ativa.

Deu no Jornal

Afastado da presidência da República em 1992 por decisão do Senado. Foi acusado de chefiar esquema de tráfico de influência e de desvio de dinheiro público, conjuntamente com seu então tesoureiro de campanha, Paulo César Farias, o PC. O julgamento do novo processo aberto pelo Ministério Público no Supremo Tribunal Federal (STF) deve ocorrer no final de 2009. O procurador-geral da República encaminhou parecer ao STF defendendo a condenação do senador por peculato, corrupção passiva e falsidade ideológica (Revista IstoÉ, 2.fev.2007; O Globo, 18.abr.2006; Revista IstoÉ, 27.set.2008).

Em uma ação articulada por aliados do senador, a Comissão Mista de Orçamento do Congresso pode arquivar parecer que rejeitou as contas do governo do ex-presidente de 1991. A manobra impede que Collor fique inelegível por cinco anos (Meio Norte, 1.nov.2008).

É acusado de não recolher imposto de renda retido na fonte sobre rendimentos pagos a pessoas jurídicas (Correio Braziliense, 8.jun.2008).

Teria sido beneficiado por atos secretos editados pelo Senado entre 1995 e 2009 (O Estado de S. Paulo, 23.jun.2009).

VOCÊ DECIDE

Do Transparência Brasil

Sergio Petecão (PMN-AC)
Câmara dos Deputados/BR

Nome de batismo:
Sérgio de Oliveira Cunha

CPF: 096.043.322-87

Cargo anterior:
Deputado estadual (PMN-AC)

Cargos relevantes: Deputado estadual por três legislaturas (1995-1999/1999-2003/2003-2007, PMN-AC). Foi presidente da Assembleia Legislativa por quatro mandatos (1999-2001, 2001-2003, 2003-2005 e 2005-2007).

Outros dados relevantes: Técnico em contabilidade. Presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado do Acre (1988).

Histórico de filiações partidárias: PMN, 1993-.

e-mail: dep.sergiopetecao@camara.gov.br

Votos recebidos na última eleição: 27.936

Eleito(a) pelo PMN.

Foi candidato(a) em 2008.


STF Inquérito Nº2486/2007 - Denunciado por peculato e crime contra a ordem tributária. O deputado é acusado de haver desviado verbas de custeio de passagens aéreas pela Assembleia Legislativa do Acre e de haver sonegado imposto de renda.

VOCÊ DECIDE

Do Transparência Brasil

Gladson Cameli (PP-AC)
Câmara dos Deputados/BR

Nome de batismo:
Gladson de Lima Cameli

CPF: 434.611.072-04

Outros dados relevantes: Formado em engenharia civil. É sócio da empreiteira Marmud Cameli Cia Ltda. Sobrinho de Orleir Cameli, ex-governador do Acre (1995-1999).

Histórico de filiações partidárias: PFL, 2000-2003; PP, 2005-; PPS, 2003-2005.

e-mail: dep.gladsoncameli@camara.gov.br

Votos recebidos na última eleição: 18.886

Eleito(a) pelo PP.


Previdência Dívida do INSS - A empresa Marmud Cameli consta como devedora do INSS. No total, é citada como devedora de R$ 396.472,20; estão em ajuizamento ou distribuição dois processos que somam R$ 7.818,85.

VOCÊ DECIDE

Do Transparência Brasil

Flaviano Melo (PMDB-AC)
Câmara dos Deputados/BR

Nome de batismo:
Flaviano Flávio Baptista de Melo

CPF: 332.517.977-00

Cargos relevantes: Prefeito de Rio Branco por dois mandatos (1983-1986/2001-2002, PMDB-AC). Governador (1987-1990, PMDB-AC). Senador (1991-1999, PMDB-AC).

Outros dados relevantes: Formado em engenharia civil e engenharia de segurança. Filho de Raimundo Baptista de Melo, ex-deputado estadual, e irmão de José de Melo, ex-deputado federal.

Histórico de filiações partidárias: PMDB, 1978-; MDB, 1969-1978.

e-mail: dep.flavianomelo@camara.gov.br

Votos recebidos na última eleição: 16.951

Eleito(a) pelo PMDB.


STF Ação Penal Nº435/2007 - Crime contra a administração pública. Peculato. Crime contra o Sistema Financeiro Nacional.

TRF-1 Seção Judiciária do Acre Improbidade Administrativa Nº2006.30.00.002367-7 - É processado em ação civil pública movida pelo Ministério Público, por supostas irregularidades em licitações.

TRF-1 Seção Judiciária do Acre Improbidade Administrativa Nº2008.30.00.004521-7 - É processado em ação civil pública movida pelo Ministério Público por suposto dano ao erário.

VOCÊ DECIDE

Do Transparência Brasil

Fernando Melo (PT-AC)
Câmara dos Deputados/BR

Nome de batismo:
Fernando Melo da Costa

CPF: 065.674.602-53

Cargo anterior:
Deputado estadual (PT-AC)

Cargos relevantes: Foi secretário estadual de Segurança Pública na gestão de Jorge Vianna (1998-2006, PT-AC).

Outros dados relevantes: Formado em direito.

e-mail: dep.fernandomelo@camara.gov.br

Votos recebidos na última eleição: 18.385

Eleito(a) pelo PT.


TJ-AC Comarca de Barão do Rio Branco Improbidade Administrativa Nº001.99.006403-5 - É processado em ação civil pública movida pelo Ministério Público. O montante da ação é de R$ 5.000,00 .

CANDIDATURA DE DILMA EM QUARENTENA


Do Blog do Noblat

A candidatura Dilma Roussef está fechada para balanço. O desgaste provocado pelo embate com a ex-secretária da Receita Federal, Lina Vieira, que resultou em crise e demissões em cascata naquela estratégica repartição, superou as estimativas do governo.

Constata-se que houve uma sucessão de inabilidades políticas, a que o próprio Lula deu sua contribuição – e que contribuição! -, ao envolver-se diretamente no bate-boca, desafiando a ex-secretária a exibir sua agenda. Em política, primeiro escalão não polemiza com o terceiro: pune ou silencia.

Ao profanar essa regra, Lula deu ao caso a dimensão política que está tendo – e que, em circunstâncias normais, não teria. Se a intervenção de Dilma já era excessiva, e desnecessária, imagine-se a do presidente da República. Na sequência, houve o depoimento de Lina no Senado e a desastrada intervenção do Gabinete de Segurança Institucional, sustentando a inexistência no Palácio de registros de visitas havidas há mais de um mês, o que é tecnicamente questionável, para não dizer improvável.

O resultado é o desgaste, político e moral, que tem gerado enormes preocupações dentro do PT. Figuras de alto coturno do partido questionam a candidatura de Dilma, que, antes mesmo da polêmica, já não entusiasmava.

Dilma, na verdade, foi (e é) uma invenção pessoal de Lula. Não seria jamais cogitada espontaneamente pelo partido, por não reunir as condições básicas para tal. Antes de mais nada, não se trata de uma petista histórica. Dilma é egressa do PDT, não tem perfil político e é vista tão-somente como uma técnica, sem carisma e sem simpatia pessoal.

Com toda a exposição pública que ganhou por meio de Lula, comparecendo há meses a todos os lançamentos do PAC em todo o país, não conseguiu aproximar-se nas pesquisas do governador de São Paulo, José Serra, que ainda não se lançou candidato, nem se expôs em viagens nacionais.

Como se não bastasse, expôs-se, ao longo do tempo, a sucessivos desgastes, como o episódio do dossiê contra o ex-presidente Fernando Henrique e sua mulher, dona Ruth Cardoso, e o caso da incorreção de seu currículo, que a dava indevidamente como mestra e doutora em economia.

Para agravar o quadro, a senadora Marina Silva deixou o partido e será candidata pelo PV, o que ameaça o principal ativo eleitoral de Dilma: sua condição feminina. Nesse quesito, Marina Silva apresenta trunfos mais sedutores: uma biografia rica, semelhante à de Lula, acrescida de ingredientes mais glamourosos, como o de ser negra, ter superado já adulta a condição de analfabeta e de não portar mácula em sua trajetória política.

Lula, mesmo assim, ainda aposta na sua ministra. Entende que a fervura política a que se expôs é passageira, circunscreve-se a um público limitado e em breve estará superada. Por isso mesmo, decidiu que a deve manter à distância do burburinho, em quarentena. E é como está. A oposição, porém, não pensa em largar o caso.

Quer levá-lo às últimas conseqüências, insistindo em que o Planalto, tendo em vista os termos do contrato com a empresa responsável pelo registro de imagens de visitantes – que prevê guarda de seis meses dos registros e posterior backup -, forneça as informações que nega possuir. Pode não dar em nada (e não dará), mas prorroga a exposição do caso. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o sucessor de Lina na Receita, Otacílio Cartaxo, com declarações desastradas, auxiliam nessa estratégia.

Não há dúvida de que o caso chegará aos palanques da campanha do ano que vem, se Dilma for mesmo a candidata. Embora não haja outro nome disponível, nem Lula dê sinais de que recuará, já há dúvidas. O PT vive o paradoxo de possuir um presidente popularíssimo, num governo com alto índice de aprovação, sem um nome capaz de capitalizar esse patrimônio eleitoral.

O balanço a que a candidatura Dilma está submetido embute a discussão em torno de nomes alternativos. Pretendentes a substituí-la, não faltam. Falta, sim, um nome consistente, capaz de agradar a Lula, ao alto comando do partido e, sobretudo, ao eleitor. Lula, que precipitou a campanha ao lançar Dilma antes mesmo que a legislação eleitoral o autorizasse, vê-se forçado pelos fatos a perder a pressa.

O processo, porém, não recua. Serra, esta semana, pela primeira vez, admitiu formalmente que é candidato, enquanto Ciro Gomes e Marina Silva já falam nessa condição.

Ruy Fabiano é jornalista

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

RELAXA E GOZA

VOCÊ DECIDE - SENADOR GIM ARGELLO

Do Transparência Brasil

Gim Argello (PTB-DF)
Senado Federal/BR

Nome de batismo:
Jorge Afonso Argello

CPF: 017.968.698-48

Período: 2007-2015

Cargo anterior:
Deputado distrital (PMDB-DF)

Cargos relevantes: Deputado distrital por duas legislaturas (1999-2003, PFL-DF; 2003-2007, PMDB-DF). Presidiu a Casa nos biênios 2001-2002 e 2003-2004. Assumiu o mandato de senador como suplente de Joaquim Roriz, que renunciou.

Outros dados relevantes: Formado em direito. Foi corretor de imóveis e é membro do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis (CRECI). É presidente do PTB-DF. Detém concessão de radiodifusão.

Histórico de filiações partidárias: PFL, PMDB e PTB.

e-mail: gim.argello@senador.gov.br

Votos recebidos na última eleição: 17.868

Eleito(a) pelo PTB.


STF Inquérito Nº2724/2008 - Apropriação indébita, peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro (sob segredo de Justiça).

TC-DF Processo Nº1917/2003 - Multado em R$ 29.000,00 em virtude de indícios de antieconomicidade em contrato para locação de equipamentos de informática, firmado pela Câmara Legislativa em 2002, quando era presidente da Casa.

Deu no Jornal

O Tribunal de Contas do Distrito Federal apontou possibilidade de fraude na comprovação de despesas de Argello para receber verba indenizatória. Deputado distrital na época, ele teria apresentado notas fiscais sequenciais referentes à compra de combustíveis (Correio Braziliense, 23.nov.2007).

Quando deputado distrital, apresentou e aprovou propostas de alteração do plano diretor de Brasília e de transformação de terras públicas em privadas que teriam beneficiado aliados e amigos (Correio Braziliense, 9.jul.2007; Gazeta do Povo, 16.jul.2007).

É investigado pelo Ministério Público por suspeita de corrupção, grilagem e improbidade administrativa; o Ministério Público do Distrito Federal e a Polícia Civil investigam a suspeita de que Argello teria recebido R$ 500 mil dos R$ 2,2 milhões sacados com um cheque do empresário Nenê Constantino, dono da Gol, ao ex-governandor do DF Joaquim Roriz, o qual renunciou a seu mandato no Senado devido à acusação (O Estado de S. Paulo, 7.jul.2007).

Teria repassado a concessão de uma rádio de Taguatinga a um grupo estrangeiro em 2004 (Gazeta do Povo, 15.jul.2007).

Não declarou à Receita a origem de depósitos feitos em sua conta que somam R$1,39 milhão; há um processo por crime contra o sistema financeiro tramitando no Tribunal Regional Federal contra ele (Folha de S. Paulo, 11.jul.2007).

A Justiça vê indícios de sua participação no esquema de desvio de verbas do BRB desbaratado pela Operação Aquarela da Polícia Federal (Folha de S. Paulo, 10.jul.2007).

VOCÊ DECIDE

Do Transparência Brasil

Laerte Bessa (PMDB-DF)
Câmara dos Deputados/BR

Nome de batismo:
Laerte Rodrigues de Bessa

CPF: 095.111.721-15

Cargos relevantes: Presidente do Conselho Superior de Polícia Civil do Distrito Federal (2001-2006). Presidente do Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil (1999-2003). Diretor-geral da Polícia Civil do Distrito Federal (1999-2006)

Outros dados relevantes: Formado em direito. Delegado da Polícia Civil.

Histórico de filiações partidárias: PMDB, 2005-.

e-mail: dep.laertebessa@camara.gov.br

Votos recebidos na última eleição: 61.850

Eleito(a) pelo PMDB.


STF Inquérito Nº2661/2007 - Denunciado pelo Ministério Público por peculato.

TJ-DF Comarca de Brasília Improbidade Administrativa Nº2005.01.1.009384-2 - É processado em ação civil pública movida pelo Ministério Público.

VOCÊ DECIDE


Do Transparência Brasil


Jofran Frejat (PR-DF)
Câmara dos Deputados/BR

Nome de batismo:
Jofran Frejat

CPF: 000.221.871-20

Cargos relevantes: Deputado federal por quatro legislaturas (1987-1991/1991-1995, PFL-DF; 1995-1999, PP-DF; 1999-2003, PPB-DF). Diretor do IML de Brasília (1973-1979). Secretário de Saúde do Distrito Federal por quatro vezes (1979-1983/1991-1992/1994/1999-2000). Ministro da Previdência e Assistência Social, interino (1984).

Outros dados relevantes: Formado em medicina.

Histórico de filiações partidárias: PR, 2007-; PFL, 1986-1994; PP, 1994-1995; PPB, 1995-2003; PTB, 2005-2007.

e-mail: dep.jofranfrejat@camara.gov.br

Votos recebidos na última eleição: 69.450

Eleito(a) pelo PTB.


Ocorrências:

TJ-DF Comarca de Brasília Improbidade Administrativa Nº2008.01.1.105275-6 - É processado em ação civil pública movida pelo Ministério Público. O montante da ação é de R$ 187.366,36.

TRF-1 Seção Judiciária do Distrito Federal Improbidade Administrativa Nº2003.34.00.025195-6 - É processado em ação civil pública movida pelo Ministério Público.

TRF-1 Seção Judiciária do Distrito Federal Improbidade Administrativa Nº2003.34.00.040926-9 - É processado em ação civil pública movida pelo Ministério Público.

MOVIMENTE DE COMBATE A CORRUPÇÃO ELEITORAL

LEI Nº 9840, DE 28 DE SETEMBRO DE 1999
(publicada no Diário Oficial da União em 29 de setembro de 1999)

Altera dispositivos da Lei nº 9.504,
de 30 de setembro de 1997 e da Lei nº 4737,
de 15 de julho de 1965 - Código Eleitoral

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º - A Lei nº 9504, de 30 de setembro de 1997, passa a vigorar acrescida do seguinte artigo:
"Art.41-A - Ressalvado o disposto no art. 26 e seus incisos, constitui captação de sufrágio, vedada por esta lei, o candidato doar, oferecer, prometer, ou entregar, ao eleitor, com o fim de obter-lhe o voto, bem ou vantagem pessoal de qualquer natureza, inclusive emprego ou função pública, desde o registro da candidatura até o dia da eleição, inclusive, sob pena de multa de 1.000 a 50.000 UFIRs, e cassação do registro ou do diploma, observado o procedimento previsto no art. 22 da Lei Complementar no 64/90."

Art. 2º - O § 5º do art. 73 da Lei nº 9.504, de 30 de setembro de 1997, passa a vigorar com a seguinte redação:
"Art. 73 .............
...........................".

§ 5º - Nos casos de descumprimento dos incisos I, II, III, IV e VI do caput, sem prejuízo do disposto no parágrafo anterior, o candidato beneficiado, agente público ou não, ficará sujeito à cassação do registro ou do diploma." (NR)
"..........................."

Art. 3º - O inciso IV do art. 262, da Lei nº 4737, de 15 de julho de 1965 - Código Eleitoral, passa a vigorar com a seguinte redação:
"Art. 262 - .........................................".

IV - Concessão ou denegação do diploma em manifesta contradição com a prova dos autos, nas hipóteses do art. 222 desta Lei, e do art. 41-A da Lei nº 9504, de 30 de setembro de 1997." (NR)

Art. 4º - Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 5º - Revoga-se o § 6º do art. 96 da Lei 9504 de 30 de setembro de 1997

Brasília, 28 de setembro de 1999, 178º da Independência e 111º da República

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO
José Carlos Dias

COMO SEMPRE, A JUSTIÇA NÃO É A MESMA PARA TODOS

Pois é, os últimos acontecimentos em nosso querido país tem mostrado bem o caráter de nossos representantes, infelizmente ontem também vimos que não se pode nem investigar mais profundamente um destes 'poderosos'.

Eu como leigo em termos de leis, assim como a maioria dos brasileiros, não concordamos com o STF não permitir abertura de processo contra o ex-ministro Palocci, mas fazer o que, a merda já foi feita mesmo.

Agora ele deve vir candidato ao governo de São Paulo e como não temos um nível de cultura eleitoral elevada, provavelmente, se realmente for concorrer ao cargo, será eleito.

Como não voto em São Paulo, não deveria me sentir culpado por mais este erro, mas como brasileiro, assim como vocês, devemos sim nos sentir responsáveis por todos os corruptos que são eleitos em nosso país.

Sabemos que ao governo não interessa politizar os eleitores, pois eles provavelmente não se manteriam tanto tempo se apropriando do que não lhes pertencem, como também não se perpetuariam indefinidamente no poder.

Agora só nos resta esperar para ver o que vai acontecer ano que vem.

É isso aí, falta de educação, sistema de saúde ineficiente, segurança deficiente e políticos corruptos. Este é o nosso presente e o nosso possível futuro.

Aprenda a votar sua besta.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

PROCURADOR GERAL "DEMOLE" PRINCIPAL ARGUMENTO DA DEFESA DE PALOCCI

Do Terra Magazine

1. O julgamento sobre o recebimento da denúncia e o conseqüente inicio da ação penal contra Palocci, Mattoso e Netto foi interrompido por 15 minutos e retomado há pouco.

A interrupção ocorreu depois da manifestação do procurador geral da República, que requereu o recebimento da denúncia. Para tanto, chamou a atenção dos ministros para a seqüência e concatenação dos fatos. Tudo começa com a jornalista Chagas a ouvir do seu jardineiro, de nome Leonardo, a revelação de que Nildo havia recebido um dinheiro e estava a procurar uma casa para comprar.

A referida jornalista comentou o revelado pelo seu caseiro (Leonardo) com o senador Tião Viana. Às 19 horas do mesmo dia, Palocci solicita uma conversa com a jornalista Chagas e pergunta se ela serviria como testemunha.

Segundo o procurador geral da República, chefe do Ministério Público Federal, começa, depois do contato de Palocci com a jornalista, uma série de rápidas iniciativas, onde Mattoso (presidente da Caixa Econômica Federal) mobiliza os seus subordinados para verificar a movimentação financeira de Nildo. Tudo isso, depois de uma reunião de Mattoso no ministério da Fazenda.

O extrato bancário, frisou o procurador, foi entregue a Mattoso, que o esperava no restaurante La Torreta, enquanto jantava. Isso ocorrerera por volta das 21 horas. E as 23 hs, Mattoso já estava na casa de Palocci, onde fez a entrega.

Destacou o procurador, com base em verificações de extratos telefônicos, 42 ligações entre Palocci e o seu assessor de imprensa, jornalista Netto, 42 ligações entre os dias 16 e 17 de março, fato apontado como excepcional, ou seja, não usual entre ambos. O responsável pela revista Época tinha Netto como fonte de informação e admitiu tê-lo encontrado.

Quanto à defesa de Palocci, o procurador demoliu o seu principal argumento, com base em documentos. Ou seja, Palocci teria mandado quebrar o sigilo bancário para benefício próprio e não como seu dever funcional de fiscalizador de movimentos suspeitos. Mais ainda, destacou o procurador geral da República, o fato relativo à movimentação suspeita por parte do jardineiro (caseiro) Nildo só foi comunicado ao COAF (órgão governamental competente de inteligência financeira contra a lavagem de dinheiro) bem depois de o sítio da internet da revista Época haver publicado o teor do extrato.

E a cópia do extrato enviado à revista Época, pelo número de registro do acesso, fora feita com base no original do funcionária da Caixa Econômica incumbido de averigar a conta de Nildo.

2. Os indiciados Mattoso e Netto obtiveram uma primeira vitória no STF. Ou seja, caso recebida a denúncia contra Palocci e eles, será aberta a oportunidade para uma transação, a levar a suspensão processual do processo, mediante condição de darem palestras e encaminharem resmas de papel especial para pessoas com deficiência visual.

No particular, apresentaram divergência, e ficaram vencidos, os ministros Marco Aurélio, Ellen Gracie e Celso de Mello.

Lógico, Palocci, que a rejeitou, poderá reconsiderar a sua posição e aceitar a transação. Esta, frise-se, não implica em confissão ou reconhecimento de culpa.

3. O jardineito Nildo, que assiste à sessão de julgamento, postulou, na posição de assistente de acusação, fosse reconhecido o seu direito de se manifestar, antes dos defensores dos indiciados. Esse pedido foi indeferido, contra o voto do ministro Marco Aurélio. O indeferimento não foi surpresa, pois já havia jurisprudência do STF a respeito.

4. O advogado de Antonio Palocci Filho sustentou no plenário do STF a absoluta ausência de prova de participação de Palocci na violação do segredo.

Referido advogado destacou três depoimentos de Mattoso no inquérito policial, todos no sentido de que Palocci nunca postulara e “nada sabia” a respeito da consulta e tirada de extrato da conta-bancária de Nildo. Assim, chamou a atenção quanto a não se poder, por suposições e sem indicativos, ser afastado o relato coerente de um protagonista (Mattoso).

Para o advogado de Palocci, mais do que a rejeição da denúncia, deve o STF declarar improcedente a denúncia, ou seja, apresentou um inusitado julgamento de mérito.

5. Atualização das 17h37: O defensor do ex-presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Mattoso, requereu a rejeição da denúncia pela falta de justa causa. Frisou ter Mattoso cumprido, ao verificar a movimentação financeira de Nildo, um dever de ofício. Pela lei, ele tinha o dever de vigilância e, diante do propalado sobre depósitos na conta de Nildo, procedeu à verificação. E nada mais, fora comunicar, a quem de direito (COAF), a suspeita.

- Wálter Fanganiello Maierovitch -

NORMAL



DESEJO POPULAR

DÁ PRA ACREDITAR NO NOSSO MINISTRO DA JUSTIÇA?

Tarso quer que CPI contra Yeda seja profunda e apolítica

“Estou desejando que seja uma CPI totalmente diferente de todas aquelas que se instalaram aqui contra o governo Lula. Ou seja, que não seja uma CPI escandalosa, de fantasias, de disputas políticas, mas seja uma CPI de profundidade, técnica e que apresente resultado positivo para ajudar o estado do Rio Grande do Sul”, afirmou o ministro. (Do G1)

E a CPI da PETROBRÁS?

E a CPI da DNIT?

E as outras CPI's?, até parece que alguém acredita no que diz nosso ministro da (in)justiça.

ASSISTA O JULGAMENTO DO PALOCCI

Assista ao vivo

O MAIOR SENADOR DO SÉCULO XX

Do Blog da Lúcia Hippólito
Edward Moore Kennedy

Pensei em escrever alguma coisa para homenagear o senador Ted Kennedy.

Mas sua biografia e sua atuação política são autoexplicativas.

Num mundo dominado por Sarney, Renan, Wellington Salgado e Almeida Lima, Ted Kennedy não teria mais lugar.

PENSA NUM HÔMI COERENTE

Lula por Lula

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

A SEGURANÇA DO PALÁCIO DELES

Imaginem a sede do governo de um país que não possui um arquivo com as imagens da sua segurança.

Assim é o palácio do planalto, com certeza é uma das piores seguranças do país, aqui na padaria perto de casa, o dono me disse que guarda as imagens de dois anos atrás, isso por que tem dois anos que foi instalado o sistema de segurança de sua padaria.

Se por um acaso precisar investigar alguma coisa que aconteceu há trinta e dois dias, seria impossível pois as imagens já teriam sido apagadas.

É lorota em cima de lorota, incompetência depois de incompetência e inoperância em cima de inoperância.

A sede do nosso governo, mesmo não sendo grande coisa para eles, teria que ter a obrigação de preservar estas imagens por mais tempo. Estas imagens não lhes pertence mais, hehe, somos nós que pagamos por esta porcaria.

Fazer o que, não poderíamos esperar mais, nem menos, deles.

IRREVOGAVELMENTE...

TÁ EXPLICADO...

O NOVO PAPEL DE UM SENADOR

A HISTÓRIA DO CARTÃO CONTINUA


Já tá enjoando.

ANTI-VÍDEO

QUAL O VALOR DA NOSSA INDIGNAÇÃO?

Quanto está valendo a nossa indignação hoje?

Podem ter certeza, nossa indignação não tá vale porra nenhuma hoje em dia, cadê aqueles caras pintadas, se bem que na época eu não cheguei a pintar a cara, mas acompanhei com entusiasmo. Cadê os professores? Eu me lembro que, quando estudante meus professores, todos PTistas claro, discutiam com os alunos sobre política, greve, os ditos intelectuais, também petistas pra variar, se manifestavam contra o que eles achavam ser errado naquele momento, se falava mal do presidente Sarney, da inflação.

E hoje? Ainda temos um governo corrupto, mas as pessoas não se manifestam mais, temos uma oposição(?) ao governo atual inoperante e principalmente sem moral pra cobrar atitudes do executivo.

E nossa indignação, nossa revolta?

Eles estão se lixando pra nossa opinião, como já foi dito mais de uma vez por mais de um parlamentar.

E ainda podem ter certeza que muitos deles, senão todos, serão reeleitos.

Nós não sabemos votar, somos analfabetos eleitorais.

Na realidade o que nos falta é vergonha na cara.

Indignação e revolta não tem valor nenhum hoje para nossos representantes.

RELAXA E GOZA

Curte o vídeo, relaxa e esqueça por um momento todas as podridões do $enado.

CONCURSOS, EMPREGOS E OPORTUNIDADES


Instituição/Órgão

Prazo

Vagas Salário máximo Escolaridade Local de trabalho Mais
Brigada Militar do Rio Grande do Sul 28/08/09 659 não informado nível fundamental Rio Grande do Sul veja edital
Companhia de Informática do Paraná 10/09/09 41 R$ 4.054,00 nível médio, técnico e superior para analista de informática júnior - desenvolvimento de sistemas; analista organizacional pleno – licitações; engenheiro pleno - elétrica ou eletrônica; engenheiro pleno – redes; engenheiro pleno – telecomunicações Cascavel, Curitiba, Foz do Iguaçu, Guarapuava, Londrina, Maringá, Pato Branco, Ponta Grossa e Umuarama veja edital
Companhia Pernambucana de Saneamento 06/09/09 200 R$ 3.952,50 todos os níveis e superior para administrador, administrador de banco de dados, analista de comunicação social, analista de gestão de pessoas, analista de tecnologia da informação, assistente social, bibliotecário, economista, engenheiro, geólogo e médico do trabalho estado de Pernambuco veja edital
Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal 03/09/09 49 R$ 4.834,70 todos os níveis Distrito Federal veja edital
Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional do PR 30/08/09 82 de R$ 588,11 a R$ 1.983,30 todos os níveis Curitiba (PR) veja edital
Conselho Regional de Nutricionistas da 1ª Região (estados de Tocantins, Goiás e Mato Grosso e do Distrito Federal) 02/09/09 183 R$ 1.814,74 nível médio e superior para nutricionista fiscal, jornalista e coordenador técnico Brasília (DF), Goiânia (GO), Cuiabá (MT) e Palmas (TO) veja edital
Conselho Regional de Nutricionistas da 8ª Região (Paraná) 02/09/09 105 R$ 1.810,70 nível médio e superior para nutricionista fiscal Curitiba e Londrina veja edital
Escola Nacional de Administração Pública 04/09/09 45 R$ 2.643,28 nível superior em qualquer área Brasília veja edital
Exército 31/08/09 100 não informado nível técnico em enfermagem várias cidades do país veja edital
Furnas Centrais Elétricas S.A. 27/09/09 1.664 R$ 3.298,06 nível médio, técnico e superior Distrito Federal, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Paraná e Rondônia veja edital
Governo de Tocantins 09/09/09 2.198 R$ 2.181,60 nível superior estado de Tocantins veja edital
Instituto Benjamin Constant 27/08/09 10 R$ 2.307,85 nível médio e superior para assistente social, fonoaudiólogo, pedagogo, professor de educação básica - ensino fundamental 1° ano, professor de educação básica educação alternativa de 6 a 17 anos, professor de educação básica - sistema braile Rio de Janeiro veja edital
Instituto Geológico de São Paulo 28/08/09 54 R$ 1.037,85 todos os níveis São Paulo veja edital
Ministério do Planejamento 11/09/09 566 R$ 5.843,28 nível médio e superior em qualquer área Boa Vista, Brasília, Campo Grande, Cuiabá, Florianópolis, João Pessoa, Maceió, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador, São Luís e São Paulo veja edital
Ministério Público de Maranhão

26/08/09

18 não informado nível superior em direito Maranhão veja edital
Ministério Público da Paraíba 25/08/09 20 não informado nível superior em direito Paraíba veja edital
Polícia Rodoviária Federal 11/09/09 750 R$ 5.620,12 nível superior em qualquer área todos os estados, com exceção de Acre, Pará e Mato Grosso veja edital
Prefeitura de Almirante Tamandaré (PR) 27/09/09 153 R$ 1.755,14 nível fundamental, médio e superior para médicos e professores Almirante Tamandaré (PR) veja edital
Prefeitura de Blumenau 27/08/09 122 R$ 2.941,95 nível médio, técnico e superior para médicos, cirurgiões dentistas, analista de informática, contador, engenheiro civil geotécnico, geólogo, geógrafo, procurador, enfermeiro, fonoaudiólogo, psicólogo, terapeuta ocupacional Blumenau (SC) veja edital
Prefeitura de Campinas (SP) 10/09/09 100 R$ 1.855,65 nível médio Campinas (SP) veja edital
Prefeitura de Cardoso Moreira (RJ) 28/08/09 50 e cadastro R$ 3.500 todos os níveis Cardoso Moreira (RJ) veja edital
Prefeitura de Guarujá (SP) 04/09/09 732 R$ 620,10 nível fundamental Guarujá (SP) veja edital
Prefeitura de Mogi das Cruzes (SP) 08/09/09 112 R$ 4.219,46 nível fundamental, médio e superior para assistente social, advogado, agente social, pedagogo e psicólogo, orientador de informática Mogi das Cruzes (SP) veja edital
Prefeitura de Teresina (PI) 08/09/09 373 R$ 743,42 nível superior Teresina veja edital
Prefeitura de Vitória (ES) 07/09/09 Cadastro de reserva R$ 4.224,93 nível superior em medicina Vitória veja edital
Procuradoria Geral do Estado de Pernambuco 15/09/09 20 R$ 6.615,00 nível superior em direito Pernambuco veja edital
Secretaria de Estado da Administração e da Previdência do Paraná 03/09/09 234 e formação de cadastro R$ 2.401,56 todos os níveis estado do Paraná veja edital
Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo 02/09/09 3 R$ 17.689 nível superior em direito Espírito Santo veja edital
Tribunal Regional Federal da 1ª Região

25/08/09

28 R$ 19.955,40 nível superior em direito estados do Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Piauí, Rondônia, Roraima e Tocantins veja edital

CONCURSOS COM EDITAL PUBLICADO


Instituição Inscrições Total de vagas Salário máximo Mais
Polícia Militar de Minas Gerais 31/08/09 a 17/09/09 100 R$ 1.614,02 veja edital
Polícia Militar de São Paulo 01/09/09 a 25/09/09 2 mil R$ 2 mil veja edital
Prefeitura de Caucaia (CE) 01/09/09 a 30/09/09 2.859 R$ 4.400 veja edital
Prefeitura de Congonhas (MG) 19/10/09 a 08/11/09 145 R$ 1.859,97 veja edital
Secretaria de Comércio Exterior 31/08/09 a 14/09/09 32 R$ 8.300 veja edital
Secretaria de Estado da Educação do Distrito Federal 31/08/09 a 04/09/09 250 R$ 1.991,03 veja edital

AGUARDANDO EDITAL

OUTRAS OPORTUNIDADES


Empresa Inscrições Total de vagas Salário máximo
ACS Algar Tecnologia até preenchimento 136 em Uberlândia (MG) não informado
Allis S.A. até preenchimento 90 no Rio de Janeiro não informado
Apice Consultoria durante o ano de 2009 100 não informado
APS Associados até preenchimento 81 R$ 10 mil
Associação de Assistência à Criança Deficiente até o Natal Pelo menos 54 vagas não informado
Associação Brasileira de Bares e Restaurantes não informado não informado não informado
Associação Desportiva para Deficientes ao longo do ano 60 não informado
Atento até preenchimento 1,9 mil para os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina não informado
Audit Business Solutions não informado 30 R$ 600,00
Bob's até o fim de 2009 1.200 não informado
Cast Informática não informado 80 não informado
C&A não informado não informado não informado
Centauro 10/09/09 20 para gerentes de loja não informado
Centro de Apoio ao Trabalho de São Paulo (1) não informado 700 em média para deficientes não informado
Centro de Apoio ao Trabalho de São Paulo (2) 24 e 25/08/09 741 para setor de transportes R$ 1,2 mil
Centro de Apoio ao Trabalho de São Paulo (3) 24 a 26/08/09 150 para feira de beleza R$ 25 por dia
Centro Educacional de Aviação do Brasil até 28/08/09 40 não informado
Centro Educacional de Aviação do Brasil (2) até 26/08/09 10 não informado
Centro Integrado de Emprego, Trabalho e Renda de Guarulhos até preenchimento 2.178 R$ 6 mil
Centro Salesiano do Adolescente Aprendiz (Cesam) todo o ano abertura de vagas frequente em média, salário mínimo
Centro de Solidariedade ao Trabalhador de São Paulo (1) até preenchimento 3.015 para quem não tem experiência R$ 1 mil
Centro de Solidariedade ao Trabalhador de São Paulo (2) até preenchimento 222 em padarias R$ 1 mil
China House não informado 30 vagas para entregador com moto, atendimento e produção não informado
Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista não informado 60 não informado
Conquest One não informado não informado não informado
Conquest One não informado não informado não informado
Consórcio Nacional Embracon não informado 25 não informado
Contax até preenchimento mais de 500 vagas em SP, Rio e Minas não informado
Dextra Sistemas não informado 10 não informado
Empresas de cruzeiros marítimos até preenchimento 600 temporárias R$ 4,1 mil
everis não informado não informado não informado
FGi Negócios Imobiliários não informado 50 não informado
Fnac até 11/09/09 98 em Ribeirão Preto (SP) não informado
Gafisa e Tenda não informado não informado não informado
Governo de São Paulo até 31/08/09 100 mil para curso de formação de técnico de enfermagem não informado
Grand Brasil não informado 2 não informado
Grupo Cyrela não informado 140 vagas para corretores de imóveis não informado
Habib´s até preenchimento 100 não informado
Hospital Albert Einstein até preenchimento 286 R$ 3.103
Invel não informado 2,5 mil não informado
Laboratório Sandoz até preenchimento 20 não informado
Manpower não informado 56 temporárias R$ 1.785,00
Martins Comércio e Serviços de Distribuição S/A até 30/08/09 134 para operador de televendas não informado
NET não informado 80 não informado
Porcão não informado não informado não informado
Projeto RH não informado 1 não informado
Província do Québec não informado não informado US$ 78 mil por ano
Rei do Mate até 2010 480 não informado
Secretaria Estadual de Educação de São Paulo até 18/09/09 2.929 para monitores de informática R$ 340
SHV Gas Brasil não informado 50 para o Rio de Janeiro não informado
Siemens IT Solutions and Services não informado 100 não informado
Sistema Nacional de Empregos de Belo Horizonte não informado não informado R$ 40 por dia
S.O.S. Educação Profissional não informado 750 não informado
S&L Recrutamento durante o ano de 2009 não informado até R$ 5,2 mil
SPCOM não informado 150 R$ 494
SporTV até 31/08/09 não informado não informado
Trevisan Outsourcing não informado 150 não informado
Votorantim Siderurgia até 08/09/09 vagas para jovens engenheiros não informado
Wal-Mart até 31/08/09 235 vagas para Marília (SP) não informado
White Martins (1) não informado vagas para engenheiros, farmacêuticos e técnicos de manutenção não informado
White Martins (2) ao longo do ano cadastro para deficientes não informado

SIGAM O ELEGENDO