Supremo Condena quadrilha Petista mensaleira por 6 x 4

Supremo Condena quadrilha Petista mensaleira por 6 x 4
Estamos atualizando nosso cadastro de políticos que possuem sua fichinha mais suja que pau de galinheiro. Também disponibilizaremos a lista de quem falta mais às sessões e comissões, uso de verbas indenizatórias, doações e patrimônio dos políticos. Aguardem.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

VOCÊ DECIDE - SENADOR GIM ARGELLO

Do Transparência Brasil

Gim Argello (PTB-DF)
Senado Federal/BR

Nome de batismo:
Jorge Afonso Argello

CPF: 017.968.698-48

Período: 2007-2015

Cargo anterior:
Deputado distrital (PMDB-DF)

Cargos relevantes: Deputado distrital por duas legislaturas (1999-2003, PFL-DF; 2003-2007, PMDB-DF). Presidiu a Casa nos biênios 2001-2002 e 2003-2004. Assumiu o mandato de senador como suplente de Joaquim Roriz, que renunciou.

Outros dados relevantes: Formado em direito. Foi corretor de imóveis e é membro do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis (CRECI). É presidente do PTB-DF. Detém concessão de radiodifusão.

Histórico de filiações partidárias: PFL, PMDB e PTB.

e-mail: gim.argello@senador.gov.br

Votos recebidos na última eleição: 17.868

Eleito(a) pelo PTB.


STF Inquérito Nº2724/2008 - Apropriação indébita, peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro (sob segredo de Justiça).

TC-DF Processo Nº1917/2003 - Multado em R$ 29.000,00 em virtude de indícios de antieconomicidade em contrato para locação de equipamentos de informática, firmado pela Câmara Legislativa em 2002, quando era presidente da Casa.

Deu no Jornal

O Tribunal de Contas do Distrito Federal apontou possibilidade de fraude na comprovação de despesas de Argello para receber verba indenizatória. Deputado distrital na época, ele teria apresentado notas fiscais sequenciais referentes à compra de combustíveis (Correio Braziliense, 23.nov.2007).

Quando deputado distrital, apresentou e aprovou propostas de alteração do plano diretor de Brasília e de transformação de terras públicas em privadas que teriam beneficiado aliados e amigos (Correio Braziliense, 9.jul.2007; Gazeta do Povo, 16.jul.2007).

É investigado pelo Ministério Público por suspeita de corrupção, grilagem e improbidade administrativa; o Ministério Público do Distrito Federal e a Polícia Civil investigam a suspeita de que Argello teria recebido R$ 500 mil dos R$ 2,2 milhões sacados com um cheque do empresário Nenê Constantino, dono da Gol, ao ex-governandor do DF Joaquim Roriz, o qual renunciou a seu mandato no Senado devido à acusação (O Estado de S. Paulo, 7.jul.2007).

Teria repassado a concessão de uma rádio de Taguatinga a um grupo estrangeiro em 2004 (Gazeta do Povo, 15.jul.2007).

Não declarou à Receita a origem de depósitos feitos em sua conta que somam R$1,39 milhão; há um processo por crime contra o sistema financeiro tramitando no Tribunal Regional Federal contra ele (Folha de S. Paulo, 11.jul.2007).

A Justiça vê indícios de sua participação no esquema de desvio de verbas do BRB desbaratado pela Operação Aquarela da Polícia Federal (Folha de S. Paulo, 10.jul.2007).

2 comentários:

Anônimo disse...

KD A RELAÇÃO DOS DEPUTADOS DISTRITAIS FICHA SUJA?
RENOVAÇÃO JÁ!

Anônimo disse...

KD O NOME DO AGACIEL MAIA ESCAPOU COMO?

SIGAM O ELEGENDO