Supremo Condena quadrilha Petista mensaleira por 6 x 4

Supremo Condena quadrilha Petista mensaleira por 6 x 4
Estamos atualizando nosso cadastro de políticos que possuem sua fichinha mais suja que pau de galinheiro. Também disponibilizaremos a lista de quem falta mais às sessões e comissões, uso de verbas indenizatórias, doações e patrimônio dos políticos. Aguardem.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

VOCÊ DECIDE - JOÃO MAGALHÃES

Do Transparência Brasil

João Magalhães (PMDB-MG)
Câmara dos Deputados/BR

Nome de batismo:
João Lúcio Magalhães Bifano

CPF: 344.202.746-20

Cargo anterior:
Deputado federal (PMDB-MG)

Cargos relevantes: Deputado federal por três legislaturas (1996-1999, PP-MG; 1999-2003/2003-2007, PMDB-MG).

Outros dados relevantes: Proprietário rural, pecuarista e cafeicultor. Detém concessão de radiodifusão em Manhuaçu.

Histórico de filiações partidárias: PDS, 1980-1989; PFL, 1989-1994; PFL, 1996-1997; PMDB, 1997-2003; PMDB, 2003-; PP, 1994-1995; PPB, 1995-1996; PTB, 2003.

e-mail: dep.joaomagalhaes@camara.gov.br

Votos recebidos na última eleição: 82.030

Eleito(a) pelo PMDB.


STF Inquérito Nº2427/2006 - Crime contra a lei de licitações.

STF Reclamação Nº6524/2008 - Negado pedido de liminar para suspender 29 ações civis públicas por improbidade administrativa propostas contra o parlamentar na Justiça Federal em Governador Valadares e Ipatinga.

TRF-1 Seção Judiciária de Minas Gerais Execução Fiscal Nº1997.38.00.005994-0 - É réu em processo movido pela Fazenda Nacional.

Deu no Jornal

Seu gabinete foi alvo de ação de busca e apreensão, durante a Operação João de Barro da Polícia Federal. Suspeito de receber propinas em troca da apresentação de emendas parlamentares em favor de municípios mineiros, é investigado por suspeita de formação de quadrilha, corrupção passiva, tráfico de influência e concussão. Uma escuta telefônica teria flagrado sua mulher solicitando propina a um lobista em nome de Magalhães. O STF investiga o caso em processo sob segredo de Justiça (O Estado de S. Paulo, 21.jun.2008; Correio Braziliense, 21.jun.2008a, 21.jun.2008b; Revista IstoÉ, 19.jul.2008; Estado de Minas, 16.dez.2008).

Aparece no livro-caixa da máfia dos Sanguessugas, periciado pela Polícia Federal, como tendo recebido R$ 42 mil da empresa Planam em fevereiro de 2006. Seu nome também é mencionado em grampos feitos pela Polícia Federal. Ele afirma que se trata de um homônimo. Antecipou seu depoimento à CPI dos Sanguessugas, em julho, depois que seu nome foi publicado pela revista Veja em uma lista de suspeitos. Tramita no STF um inquérito que investiga a participação do deputado no esquema (Correio Braziliense, 14.mai.2006, 1.out.2007; O Tempo, 23.jul.2006).

Em 2004, seu ex-assessor Márcio Passos foi acusado pelo TCU de participar de um esquema de desvio de recursos federais por meio de emendas parlamentares. As emendas eram apresentadas por Magalhães, mas as acusações contra o deputado foram arquivadas pelo Ministério Público na época por falta de provas. O caso, comparado em notícias mais recentes ao dos Sanguessugas, levou o deputado a ser incluído na lista dos inelegíveis do TCU (O Estado de Minas, 1.out.2004; O Tempo, 5.jul.2006).

Segundo a imprensa, é alvo de pelo menos 27 ações por improbidade administrativa em Governador Valadares, sob a acusação de envolvimento em esquema de fraudes em licitações em vários municípios de Minas Gerais (Estado de Minas, 25.mai.2008; O Estado de S. Paulo, 23.ago.2008).

Empregava quatro parentes na Câmara. Todos já foram exonerados (Folha de S. Paulo, 4.set.2008).

Teria usado parte da cota de passagens aéreas para vôos internacionais, ou cedido a seus parentes (O Globo, 23.abr.2009).

3 comentários:

Anônimo disse...

esse fdp vai ganhar infelismente

minha cidade toda vai votar nele

Anônimo disse...

Infelismente, tbm minha cidade ele sera o mais bem votado, corrupto sujo mas da dinheiro...

Anônimo disse...

eu não acredito mais na nossa lei, é sempre assim os safados, corrúptos voltão p/ roubar o dinheiro público.
são pessoas piores q ele p/ coloca-lo no poder, na minha cidade mesmo, eles estavam pagando 300,00 reais por voto.

SIGAM O ELEGENDO