Supremo Condena quadrilha Petista mensaleira por 6 x 4

Supremo Condena quadrilha Petista mensaleira por 6 x 4
Estamos atualizando nosso cadastro de políticos que possuem sua fichinha mais suja que pau de galinheiro. Também disponibilizaremos a lista de quem falta mais às sessões e comissões, uso de verbas indenizatórias, doações e patrimônio dos políticos. Aguardem.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

VOCÊ DECIDE - DAGOBERTO

Do Transparência Brasil

Dagoberto (PDT-MS)
Câmara dos Deputados/BR

Nome de batismo:
Dagoberto Nogueira Filho

CPF: 002.633.828-93

Cargo anterior:
Deputado estadual (PDT-MS)

Cargos relevantes: Sub-chefe da Casa Civil, secretário de Justiça, Trabalho e Ação Social (2004) e secretário da Produção e do Turismo do estado do Mato Grosso do Sul (2006). Diretor-presidente do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN). Procurador de Autarquia do Estado (MS).

Outros dados relevantes: Formado em direito. Foi diretor da União Nacional dos Estudantes (UNE). Proprietário rural.

Histórico de filiações partidárias: PDT, 1993-.

e-mail: dep.dagoberto@camara.gov.br

Votos recebidos na última eleição: 97.803

Eleito(a) pelo PDT.



Ocorrências na Justiça e Tribunais de Contas

TJ-MS Apelação Cível Nº2008.038235-3 - Recorre de condenação em primeira instância (TJ-MS Vara de Direitos Difusos, Colet. e Indiv. Homogêneos de Campo Grande - Processo Nº001.06.022759-2) por improbidade administrativa, em que foi sentenciado a multa civil e a ressarcir aos cofres públicos o montante gasto em contrato com a empresa AGS Segurança.

TJ-MS Apelação Cível Nº2008.013506-0 - Recorre de condenação em primeira instância (TJ-MS Vara de Direitos Difusos, Colet. e Indiv. Homogêneos de Campo Grande - Processo Nº001.06.012917-5) por improbidade administrativa, em que foi sentenciado a ressarcir aos cofres públicos o dano causado pelo uso de propaganda sobre a Lei Seca para promoção pessoal do deputado.

Deu no Jornal

Foi condenado por improbidade administrativa pela Justiça do Mato Grosso do Sul, que o considerou responsável por contrato entre a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública e a empresa AGS Segurança, por meio do qual a secretaria adquiriu um aparelho que permitia comunicação direta de alguns estabelecimentos comerciais privados com a Polícia (O Estado, 15.ago.2008).

Foi condenado pelo Tribunal de Contas do Estado a pagar multa de 1,8 mil Uferms e ressarcir aos cofres públicos a quantia de R$ 20,2 mil, em virtude de irregularidades na gestão do Detran-MS (O Estado, 29.out.2008).

Acusado pelo Ministério Público Estadual do Mato Grosso do Sul de uso da máquina pública para autopromoção, quando secretário de Justiça do estado e candidato à prefeitura de Campo Grande (Correio do Estado, 7.abr.2006).

Condenado a reparar os danos patrimoniais e morais causados à administração pública estadual, mediante o ressarcimento integral do prejuízo consistente nos gastos com a publicidade da chamada Lei Seca (Correio do Estado, 18.dez.2007).

Teria usado parte da cota de passagens aéreas para vôos internacionais, ou cedido a seus parentes (O Globo, 23.abr.2009).

Nenhum comentário:

SIGAM O ELEGENDO