Supremo Condena quadrilha Petista mensaleira por 6 x 4

Supremo Condena quadrilha Petista mensaleira por 6 x 4
Estamos atualizando nosso cadastro de políticos que possuem sua fichinha mais suja que pau de galinheiro. Também disponibilizaremos a lista de quem falta mais às sessões e comissões, uso de verbas indenizatórias, doações e patrimônio dos políticos. Aguardem.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

VOCÊ DECIDE - VANDER LOUBET

Do Transparência Brasil


Vander Loubet (PT-MS)
Câmara dos Deputados/BR

Nome de batismo:
Vander Luiz dos Santos Loubet

CPF: 322.477.531-91

Cargo anterior:
Deputado federal (PT-MS)

Cargos relevantes: Chefe de Gabinete da Assembléia Legislativa do Mato Grosso do Sul (1990-1998). Secretário de Estado do Governo do Mato Grosso do Sul (1999-2000). Secretário estadual de Infra-Estrutura e Habitação (2000-2001).

Outros dados relevantes: Bancário e funcionário público. É sobrinho do Zeca do PT, ex-governador do Mato Grosso do Sul. Foi candidato à Prefeitura de Campo Grande nas eleições de 2004.

Histórico de filiações partidárias: PT, 1984-.

e-mail: dep.vanderloubet@camara.gov.br

Votos recebidos na última eleição: 118.529

Eleito(a) pelo PT.



Ocorrências na Justiça e Tribunais de Contas

TJ-MS Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande - Ação Popular Nº001.04.008338-2 - Condenado em primeira instância a ressarcir aos cofres públicos estaduais o prejuízo decorrente de contrato de transferência de concessão do Porto Murtinho firmado entre o governo estadual e o consórcio Comport. A sentença também determinou a anulação do contrato. Foi protocolada apelação à decisão.

TJ-MS Agravo Nº2008.027547-4 - Referente a improbidade administrativa (TJ-MS Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande - Ação Civil Pública Nº001.06.049707-7) que tramita em primeira instância, relacionada ao contrato de concessão do Porto Murtinho ao consórcio Comport.

Deu no Jornal

É investigado pela Polícia Federal por suposto envolvimento em desvios de recursos públicos por meio de contratos de publicidade firmados pelo governo do Mato Grosso do Sul (Correio do Estado, 15.jan.2008).

Anotações de livro-caixa apreendido em investigação de suposto caixa dois do governo de Zeca do PT no Estado sugerem que o deputado teria recebido dinheiro do esquema (Diário de Cuiabá, 04.nov.2007; Folha de S. Paulo, 09.nov.2007).

Foi condenado em ação popular como um dos responsáveis por contrato firmado entre o governo estadual e um consórcio integrado por empresas pertencentes a sua família, durante sua gestão como secretário de Infra-Estrutura e Habitação. O contrato transferia a administração do terminal hidroviário Porto Murtinho a esse consórcio. A sentença judicial determinou a anulação do contrato e o ressarcimento do prejuízo causado aos cofres públicos. Enfrenta ainda uma ação civil pública por improbidade administrativa relacionada ao caso (Jornal do Brasil, 9.ago.2004; Correio do Estado, 07.nov.2007; O Estado, 1.ago.2008).

Nenhum comentário:

SIGAM O ELEGENDO