Supremo Condena quadrilha Petista mensaleira por 6 x 4

Supremo Condena quadrilha Petista mensaleira por 6 x 4
Estamos atualizando nosso cadastro de políticos que possuem sua fichinha mais suja que pau de galinheiro. Também disponibilizaremos a lista de quem falta mais às sessões e comissões, uso de verbas indenizatórias, doações e patrimônio dos políticos. Aguardem.

quarta-feira, 30 de março de 2011

VOCÊ DECIDE - DEP. JAQUELINE RORIZ

Jaqueline Roriz (PMN-DF)
Câmara dos Deputados/BR

Nome de batismo: Jaqueline Maria Roriz
CPF: 265.412.621-87
Cargo anterior: Deputada distrital (PSDB-DF)
Eleito(a) pelo: PMN
e-mail: dep.jaquelineroriz@camara.gov.br

Candidato(a) em 2010 a deputado(a) federal (Deferido)ELEITO.
Doações recebidas – 1ª parcial: R$ 23.500; 2ª parcial: R$ 279.780. Desses montantes, R$ 15.000 corresponderam a autodoações.


Cargos relevantes: Foi deputada distrital (2007-2011, PSDB-DF).
Outros dados relevantes: Formada em pedagogia. Empresária, é proprietária rural e administradora da Agropecuária Palma. É filha de Joaquim Roriz, ex-senador e ex-governador do DF.
Histórico de filiações partidárias: PSDB, PMN.
Votos recebidos em 2006: 24.129
Votos recebidos em 2010: 100.051

Ocorrências na Justiça e Tribunais de Contas

STF Inquérito Nº3112/2011 - Acusada pelo Ministério Público Federal de crimes contra a fé pública e uso de documento falso.
STF Inquérito Nº3113/2011 - Acusada pelo Ministério Público Federal de ter praticado crimes contra a administração pública em geral (peculato), é investigada como possível envolvida no pagamento de propinas que ficou conhecido como mensalão do DEM, nas eleições de 2006.
Deu no Jornal
Teria sido flagrada, junto com seu marido Manoel Neto, ao receber proprina de R$ 50 mil do ex-secretário de Relações Institucionais do Distrito Federal, Durval Barbosa, nas eleições de 2006, quando concorria ao cargo de deputada distrital. Durval Barbosa teria denunciado a parlamentar como envolvida no escândalo de corrupção conhecido como mensalão do DEM. A pedido do seu partido, PMN, a parlamentar deixou a comissão de reforma política. O Ministério Público Federal, através do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, solicitou a abertura de um inquérito para investigar o caso, que foi aceita pelo Supremo Tribunal Federal com o número 3113. O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) entrou com pedido para que a Corregedoria da Câmara investigue o caso, e assim como a OAB, teria manifestado interesse em pedir a cassação da parlamentar. (O Estado de S. Paulo , 04.mar.2011, 11.mar.2011a, 11.mar.2011b, 14.mar.2011; Diário Catarinense, 09.mar.2011; Folha de S. Paulo, 10.mar.2011; O Globo, 15.mar.2011; Correio Braziliense, 11.mar.2011).

terça-feira, 29 de março de 2011

OHH!!! ,SERÁ O NOBRE DEPUTADO RACISTA?

Deputado associa na TV namoro com negras a 'promiscuidade'

Ele respondeu à indagação sobre como reagiria se filho namorasse negra.
Nesta terça, Jair Bolsonaro (PP) disse que não entendeu a pergunta.

Do G1, em Brasília
 
Dep. Jair Bolsonaro (PP-RJ)  (Foto: Diógenis Santos/Agência Câmara)O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ).
(Foto: Diógenis Santos/Agência Câmara)
O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) afirmou que não discutiria "promiscuidade" ao ser  questionado pela cantora Preta Gil, no programa CQC, da TV Bandeirantes, sobre como reagiria caso o filho namorasse uma mulher negra.
A pergunta, previamente gravada, foi apresentada ao deputado na noite desta segunda-feira (28), no quadro do programa intitulado "O povo quer saber": "Se seu filho se apaixonasse por uma negra, o que você faria?"
Bolsonaro respondeu: “Preta, não vou discutir promiscuidade com quer que seja. Eu não corro esse risco, e meus filhos foram muito bem educados e não viveram em um ambiente como, lamentavelmente, é o teu.”
Após a exibição do programa, Preta Gil postou no Twitter que processaria o deputado. "Advogado acionado, sou uma mulher Negra, forte e irei até o fim contra esse Deputado, Racista, Homofobico, nojento".
Procurado pela reportagem do G1, Bolsonaro disse por telefone nesta terça-feira (29) que não quis ofender a cantora Preta Gil, filha do ex-ministro e compositor Gilberto Gil. O deputado afirmou que não compreendeu a pergunta feita por ela e por isso respondeu daquela maneira.
"O que eu entendi, na pergunta, foi 'o que você faria se seu filho tivesse relacionamento com um gay'. Por isso respondi daquela maneira", disse Bolsonaro. "Não sou racista. Apesar de não aprovar o comportamento da Preta Gil, não responderia daquela maneira." Apesar disso, o deputado disse que não vai telefonar para a cantora para explicar o mal-entendido.
A respeito de eventuais questionamentos na Câmara dos Deputados, ele afirmou que explicará o "equívoco" a qualquer parlamentar que queira questioná-lo.
Gays
Bolsonaro não retirou as demais respostas exibidas a perguntas formuladas no programa. O deputado disse que os filhos dele não são gays porque tiveram uma boa educação.
"Eles tiveram uma boa educação. Eu sou um pai presente, então não corro esse risco [de ter um filho gay]".
Questionado no programa sobre como reagiria caso se o filho fosse usuário de drogas, Bolsonaro disse: "Daria uma porrada nele, pode ter certeza disso".
O deputado disse ser contra as cotas raciais adotadas em várias universidades brasileiras. Bolsonaro afirmou ainda que os presidentes do período militar são seus "gurus" na política, e que, se dependesse dele, Dilma Rousseff  "jamais" seria presidente da República.
"O passado dela é de sequestros e roubos", disse, referindo-se à participação de Dilma em organizações armadas que combateram a ditadura.
Do G1

domingo, 13 de março de 2011

DIRETO DO BLOG DO REINALDO

O petismo revê o milagre de Jesus e multiplica o… custo do peixe!

Reportagem de Leandro Colon e Tânia Monteiro, publicada no Estadão de hoje (íntegra aqui), demonstra que o governo federal gasta, por ano, R$ 100 milhões com aluguéis, em Brasília, para abrigar a estrutura dos novos ministérios inventados por Lula. O Apedeuta recebeu 26 pastas de FHC e entregou 37 à sua sucessora, Dilma Rousseff. Ela não demonstra a mínima disposição de reverter o inchaço e pretende criar mais duas: a da Micro e Pequena Empresa e a da Infraestrutura Aeronáutica.
O compromisso do petismo com a austeridade se revela em outros números: em oito anos, aumentou em 204 mil o número de empregados da União. FHC entregou a Lula uma folha de pagamentos de R$ 75 bilhões; em 2010, ela chegou a R$ 179,5 bilhões, um crescimento de 139,3%. A justificativa é mais do que conhecida: isso tudo aconteceu porque o governo teria passado a oferecer novos serviços. Será mesmo?
Vocês já devem ter ouvido falar, por exemplo, do Ministério da Pesca e Aqüicultura, aquela pasta que foi dada como compensação a Ideli Salvatti, ex-senadora e candidata derrotada do PT ao governo de Santa Catarina. O brinquedinho custa uma fábula. Seu ministério aluga um prédio de 14 andares, “chique no úrtimo”, com fachada espelhada, ao custo de R$ 7 milhões por ano, onde se aboletam 374 servidores. A ministra não fica ali, não. Ela e os 67 assessores que a ajudam a identificar a diferença entre uma tilápia e um pirarucu dão expediente na Esplanada.
A esta altura, o petralha já ficou indignado com a abordagem do Tio Rei: “Que absurdo! O Brasil precisa de um Ministério da Pesca, ora essa! Então este setor da economia não merece atenção?” Claro que sim! Em oito anos, os recursos destinados à pasta de Ideli saltaram de R$ 11 milhões para R$ 803 milhões, crescendo 70 vezes! E o que aconteceu com a produção de pescado no período? Era de 990 mil toneladas em 2002 e continuou em 990 mil toneladas em 2010! É o verdadeiro milagre da multiplicação do custo do peixe!
Outro exemplo de expansão do latifúndio improdutivo é o Ministério do Desenvolvimento Agrário, aquele que cuida de um problema que não existe, mas que faz barulho e custa caro: os sem-terra. A Pasta tem o Bloco A na Esplanada, com nove andares, mais o prédio do Incra. É pouco. Por R$ 128 mil mensais, alugou cinco andares de um edifício no Setor Bancário Norte. Precisa ter onde enfiar 144 servidores que não encontram lugar na sede oficial. São muitos os exemplos da gastança. A Advocacia Geral da União, que tem sede própria, também precisou de outro edifício: R$ 1,3 milhão por mês. O Ministério das Cidades aluga um prédio inteiro por R$ 7,7 milhões anuais. E assim vai.
O aluguel de edifícios e andares — R$ 100 milhões por ano! — é decidido pelos respectivos ministérios, sem licitação ou coisa parecida. O PT realmente sabe como acelerar o crescimento. Imaginem a festa que essa gente não representa para o setor imobiliário de Brasília! Deve ser a área da economia brasileira que mais se expandiu nos últimos oito anos! Eis aí evidenciado o compromisso do PT com a… austeridade!
O modo petista de governar é um escândalo de dimensões bíblicas!
Por Reinaldo Azevedo

SIGAM O ELEGENDO