Supremo Condena quadrilha Petista mensaleira por 6 x 4

Supremo Condena quadrilha Petista mensaleira por 6 x 4
Estamos atualizando nosso cadastro de políticos que possuem sua fichinha mais suja que pau de galinheiro. Também disponibilizaremos a lista de quem falta mais às sessões e comissões, uso de verbas indenizatórias, doações e patrimônio dos políticos. Aguardem.

quarta-feira, 30 de março de 2011

VOCÊ DECIDE - DEP. JAQUELINE RORIZ

Jaqueline Roriz (PMN-DF)
Câmara dos Deputados/BR

Nome de batismo: Jaqueline Maria Roriz
CPF: 265.412.621-87
Cargo anterior: Deputada distrital (PSDB-DF)
Eleito(a) pelo: PMN
e-mail: dep.jaquelineroriz@camara.gov.br

Candidato(a) em 2010 a deputado(a) federal (Deferido)ELEITO.
Doações recebidas – 1ª parcial: R$ 23.500; 2ª parcial: R$ 279.780. Desses montantes, R$ 15.000 corresponderam a autodoações.


Cargos relevantes: Foi deputada distrital (2007-2011, PSDB-DF).
Outros dados relevantes: Formada em pedagogia. Empresária, é proprietária rural e administradora da Agropecuária Palma. É filha de Joaquim Roriz, ex-senador e ex-governador do DF.
Histórico de filiações partidárias: PSDB, PMN.
Votos recebidos em 2006: 24.129
Votos recebidos em 2010: 100.051

Ocorrências na Justiça e Tribunais de Contas

STF Inquérito Nº3112/2011 - Acusada pelo Ministério Público Federal de crimes contra a fé pública e uso de documento falso.
STF Inquérito Nº3113/2011 - Acusada pelo Ministério Público Federal de ter praticado crimes contra a administração pública em geral (peculato), é investigada como possível envolvida no pagamento de propinas que ficou conhecido como mensalão do DEM, nas eleições de 2006.
Deu no Jornal
Teria sido flagrada, junto com seu marido Manoel Neto, ao receber proprina de R$ 50 mil do ex-secretário de Relações Institucionais do Distrito Federal, Durval Barbosa, nas eleições de 2006, quando concorria ao cargo de deputada distrital. Durval Barbosa teria denunciado a parlamentar como envolvida no escândalo de corrupção conhecido como mensalão do DEM. A pedido do seu partido, PMN, a parlamentar deixou a comissão de reforma política. O Ministério Público Federal, através do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, solicitou a abertura de um inquérito para investigar o caso, que foi aceita pelo Supremo Tribunal Federal com o número 3113. O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) entrou com pedido para que a Corregedoria da Câmara investigue o caso, e assim como a OAB, teria manifestado interesse em pedir a cassação da parlamentar. (O Estado de S. Paulo , 04.mar.2011, 11.mar.2011a, 11.mar.2011b, 14.mar.2011; Diário Catarinense, 09.mar.2011; Folha de S. Paulo, 10.mar.2011; O Globo, 15.mar.2011; Correio Braziliense, 11.mar.2011).

Um comentário:

jaime hindembergue ferreira de souza disse...

dep. jaqueline roriz, porque Vossa Excelencia,nao se utiliza na sua defesa, a condenaçao por improbidade admistrativa, do dep.do PDT, paulinho da força sindical, que até a presenta data nao foi levado ao Conselho de Ética para julgamento? será que conselho, tem como parametro dois pesos e duas medidas?

SIGAM O ELEGENDO